171. Os que recebem o sacramento da Ceia do Senhor, como devem
preparar-se para o receber?
Os que recebem o sacramento da Ceia do Senhor devem preparar-se para o
receber, examinando-se a si mesmos, se estão em Cristo, a respeito de seus
pecados e necessidades, da verdade e medida de seu conhecimento, fé,
arrependimento e amor para com Deus e para com os irmãos; da caridade para
com todos os homens, perdoando aos que lhes têm feito mal; de seus desejos
de ter Cristo e de sua nova obediência, renovando o exercício destas graças pela
meditação séria e pela oração fervorosa.
1Co 11.28; 2Co 13.5; 1Co 5.7; Êx 12.15; 1Co 11.29; 2Co 13.5; 1Co 10.17; 1Co
5.8; 1Co 11.18, 20; Mt 5.23, 24; Jo 7.37; Is 55.1; 1Co 5.8; Hb 10.21, 22, 24;
1Co 11.24; 2Co 30.18, 19.
172. Uma pessoa que duvida de que esteja em Cristo, ou de que esteja
convenientemente preparada, pode chegar-se à Ceia do Senhor?
Uma pessoa que duvida de que esteja em Cristo, ou de que esteja
convenientemente preparada para participar do sacramento da Ceia do Senhor,
pode ter um verdadeiro interesse em Cristo, embora não tenha ainda a certeza
disto; mas aos olhos de Deus o tem, se está devidamente tocada pelo receio da
falta desse interesse, e sem fingimento deseja ser achada em Cristo e apartar-se
da iniqüidade. Neste caso, desde que as promessas são feitas, e este sacramento
é ordenado para o alívio dos cristãos fracos e que estão em dúvida, deve
lamentar a sua incredulidade e esforçar-se para ter as suas dúvidas dissipadas,
e, assim fazendo, pode e deve chegar-se à Ceia do Senhor para ficar mais
fortalecida.
Is 54.7, 8, 10; Is 50.10; Mt 5.3, 4; Sl 31.22; Sl 42.11; 2Tm 2.19; Rm 7.24, 25;
Mt 26.28; Mt 11.28; Is 40.11, 29, 31; Mc 9.24; At 16.30; 1Co 11.28.
173. Alguém que professa a fé, e deseja participar da Ceia do Senhor,
pode ser excluído dela?
Os que forem achados ignorantes ou escandalosos, não obstante a sua profissão
de fé e o desejo de participar da Ceia do Senhor, podem e devem ser excluídos
desse sacramento, pelo poder que Cristo legou à sua Igreja, até que recebam
instrução e manifestem mudança.
1Co 11.29; 1Co 5.11; Mt 7.6; 1Co 5.3-5; 2Co 2.5-8.
174. Que se exige dos que recebem o sacramento da Ceia do Senhor,
na ocasião de sua celebração?
Exige-se dos que recebem o sacramento da Ceia do Senhor que, durante a sua
celebração, esperem em Deus, nessa ordenança, com toda a santa reverência e
atenção; que diligentemente observem os elementos e os atos sacramentais;
que atentamente discriminem o corpo do Senhor, e, cheios de amor, meditem na
sua morte e sofrimentos, e assim se despertem para um vigoroso exercício das
suas graças, julgando-se a si mesmos e entristecendo-se pelo pecado, tendo
fome e sede ardentes de Cristo, alimentando-se nele pela fé, recebendo da sua
plenitude, confiando nos seus méritos, regozijando-se no seu amor, sendo gratos
pela sua graça e renovando o pacto que fizeram com Deus e o amor a todos os
santos.
1Co 11.29; Lc 22.19; 1Co 11.31; Zc 12.10¸Sl 63.1; Gl 2.20; Jo 6.35; Jo 1.16; Fp
3.9; 1Pe 1.8; 2Cr 30.21; Sl 22.26; 1Co 10.17.
175. Qual é o dever dos crentes depois de receberem o sacramento da
Ceia do Senhor?
O dever dos crentes, depois de receberem o sacramento da Ceia do Senhor, é o
de seriamente considerar como se portaram nele, e com que proveito; se foram
vivificados e confortados; devem bendizer a Deus por isto, pedir a continuação
do mesmo, vigiar contra a reincidência, cumprir seus votos e animar-se a
atender sempre a esta ordenança; se não acharem, porém, nenhum benefício,
deverão refletir novamente, e com mais cuidado, na sua preparação para este
sacramento e no comportamento que tiverem na ocasião, podendo, em uma e
outra coisa, aprovar-se diante de Deus e de suas próprias consciências,
esperando com o tempo o fruto de sua participação; se perceberem, porém, que
nessas coisas foram remissos, deverão humilhar-se, e para o futuro participar
desta ordenança com mais cuidado e diligência.
1Co 11.17, 30, 31; 2Co 2.14; At 2.42, 46, 47; 1Co 10.12; 1Co 11.25, 26; Sl 27.4;
Sl 77.6; Sl 77.6; Sl 123.1, 2; Os 14.2; 2Co 7.11; 1Cr 15.12-14.
178. O que é oração?
Oração é um oferecimento de nossos desejos a Deus, em nome de Cristo e com
o auxílio de seu Espírito, e com a confissão de nossos pecados e um grato
reconhecimento de suas misericórdias.
Sl 62.8; Jo 16.23, 24; Rm 8.26; Dn 9.4; Fp 4.6.
179. Devemos orar somente a Deus?
Sendo Deus o único que pode esquadrinhar o coração, ouvir os pedidos, perdoar
os pecados e cumprir os desejos de todos, o único em quem se deve crer e a
quem se deve prestar culto religioso, a oração, que é uma parte especial do
culto, deve ser oferecida por todos a ele só, e a nenhum outro.
1Rs 8.39; Sl 65.2; Mq 7.18; Sl 145.16, 19; 2Sm 22.32; Mt 4.10; 1Co 1.2; Lc 4.8;
Is 42.8; Jr 3.23.
180. O que é orar em nome de Cristo?
Orar em nome de Cristo é, em obediência ao seu mandamento e em confiança
nas suas promessas, pedir a misericórdia por amor deles, não por mera menção
de seu nome; porém derivando o nosso ânimo para orar, a nossa coragem, força
e esperança de sermos aceitos em oração, de Cristo e sua mediação.
Jo 14.13, 14; Lc 6.46; Hb 4.14-16; 1Jo 5.13-15.